Tratamento do Alcoolismo: O que é e como colocar em prática

Tratamento do Alcoolismo: O que é e como colocar em prática

O que acontece depois do primeiro gole?

Alerta! Pode ser chocante.

Há cura para o alcoolismo?

Há Tratamento Para O Alcoolismo?

Essas perguntas são feitas frequentemente por alguém que se preocupa com pessoas queridas que estão imersas no alcoolismo, e às vezes por alguém que sofre da doença.

E você, tá cansado de não conseguir largar o vício?

Dessa vez quer fazer diferente, não é?

Leia esse artigo até o final, que eu vou apresentar-lhe uma ajuda que você sequer imaginou!

  • Como o álcool faz um dependente químico;
  • Então por onde começar o tratamento?
  • Atenção: a importância da conscientização do Alcoolista
  • Álcool não! E agora, como fazer o tratamento?
  • Como o psiquiatra vai te ajudar?
  • Psicólogo o que ele pode fazer por você?

Você Pode Imaginar O Que Acontece No Alcoolismo?

O cérebro não consegue deletar os efeitos da ingestão abusiva por longo tempo.

Um grande período consumindo álcool faz com que o cérebro se adapte a funcionar mediante grandes quantidades da substância.

Uma vez que isso tenha acontecido, o cérebro grava de forma definitiva esse registro do funcionamento com o álcool.

Em outras palavras, o álcool estimula a produção de certas substâncias químicas no cérebro, e isso faz a pessoa sentir-se bem, e nem perceber que está numa areia movediça chamado alcoolismo.

COMO O ÁLCOOL FAZ UM DEPENDENTE QUÍMICO

A pessoa na medida que vai se deixando afundar nessa areia movediça, continua a beber e, isso na maioria das vezes, produz um efeito sedativo das dores do corpo e da alma.

Esta é a “recompensa” do corpo pela ingestão de álcool.

Porém o corpo também inflige uma “punição”, “ reclama” quando para de consumir a bebida alcoólica.

Isso significa que o cérebro se acostumou com essa droga lícita, estimulando vários receptores e não pode funcionar sem ela.

Então respondendo a uma das perguntas iniciais:

O ALCOOLISMO NÃO TEM CURA , MAS TEM TRATAMENTO.

ENTÃO POR ONDE COMEÇAR O TRATAMENTO?

Na grande maioria dos casos, a pessoa não consegue perceber o quanto está envolvido com a bebida, tendendo a negar o uso ou mesmo a sua dependência.

Essas pessoas chegam até o tratamento muitas vezes numa mistura de coerção e preocupação por parte dos familiares, que impõe que elas se tratem.

É importante que a pessoa entenda a chegada ao fundo do poço e os prejuízos trazidos para a sua vida, para que ela encare o tratamento.

Diante do exposto, o primeiro passo é a pessoa entender que ela tem um problema com o álcool, gerado pela perda do controle sobre a ingestão da bebida.

ATENÇÃO: A IMPORTÂNCIA DA CONSCIENTIZAÇÃO DO ALCOOLISTA

Homem com uma garrafa de bebida sentado na calçada

A pessoa envolvida precisa ainda entender que esse problema traz consequências muito ruins, não apenas para a vida dela, mas que esses efeitos recaem e prejudicam sua vida familiar e social.

Como o comprometimento das relações com seus pais, filhos, família, os amigos e o trabalho.

A partir dessa constatação é necessário se responsabilizar pela mudança.

É claro que essa trajetória de conscientização não é fácil!

Aliás a pessoa se manter motivada no tratamento é um grande desafio.

Mesmo manifestando um desejo de parar de beber, a pessoa sente-se incapaz para conseguir.

Isso significa que elas podem querer mudar, mas podem sentir como se não pudessem fazê-lo.

Às vezes, elas podem sentir como se nunca mais pudessem viver sem o álcool, que não é mais possível para elas.

Por isso durante o tratamento é importante além do trabalho dos profissionais, o apoio dos familiares e amigos.

ALCOOL NÃO! E AGORA, COMO FAZER O TRATAMENTO ?

O tratamento de alcoolismo, é mais eficaz quando o tratamento inclui uma a equipe multiprofissional, composta de psiquiatra, psicólogo e um terapeuta integrativo.

Esse último, mesmo sem ser muito usual na equipe de saúde, já tem o seu mérito reconhecido.

A prova disso é que a Política Nacional de Saúde, já inclui, em vários tratamentos, os terapeutas integrativos.

Sem dúvida no tratamento do alcoolismo, trará grande contribuição.

Por se tratar de uma doença onde o físico, o emocional e as energias ficam comprometidos é importante o tratamento de todos esses aspectos.

Ter bons profissionais envolvidos costuma fazer a diferença no resultado.

Agregar ao trabalho do médico, do psicólogo, do terapeuta integrativo a participação no grupo dos Alcoólicos Anônimos (AA) é de grande valia para o tratamento.

COMO O PSIQUIATRA VAI TE AJUDAR?

O primeiro passo é a conscientização do problema.

O psiquiatra vai atuar ajudando no entendimento da importância do tratamento.

É feita uma avaliação e a prescrição de medicamentos baseada nas condições físicas e mentais decorrentes do uso abusivo do álcool.

A investigação de doenças ligadas ao fígado também é muito importante.

A primeira etapa do tratamento é chamada de desintoxicação.

Essa fase se caracteriza pela interrupção da ingestão alcóolica.

Essa etapa pode ser feita em casa ou, em casos mais graves, em hospital, mas sempre sob cuidado médico.

A crise de abstinência no alcoolismo crônico, denominada de Delirium Tremens, necessita também da intervenção do psiquiatra na prescrições de medicamentos.

PSICÓLOGO: O QUE ELE PODE FAZER POR VOCÊ?

O psicólogo é o profissional que vai cuidar dos sentimentos, emoções, traumas, ajudando a dar um outro significado para vida.

Vai ajudá-lo também a resistir a ingestão de álcool, e reconstruir suas relações afetivas e sociais.

Quem vai vencer?

O álcool ou a vida?

Não esperar que novas perdas aconteçam é fundamental, por isso é necessária a busca por um tratamento!

Pra que levar mais tempo?

A sua vida é que precisa de mais tempo e qualidade!

Conclusão

Um dos grandes entraves para a busca pelo tratamento , é a linha tênue entre ser e não ser alcoolista.

O limite, percebido precocemente é difícil, porque na maioria das vezes a pessoa se esconde atrás do rótulo “etilista social”.

Isso faz com que haja uma demora pela procura do tratamento.

O alcoolismo afeta não somente aquele que faz o uso abusivo, mas todos que convivem direta ou indiretamente com ele.

Essa condição, acarreta graves consequências para a família devido a fragilidade que se instala nas relações afetivas.

Os impactos sociais causados pelo alcoolismo abrangem vários problemas como, a incapacidade para o trabalho, envolvimento em acidentes, morte no trânsito, violência, violência doméstica, além de outros.

Por isso é muito importante que na dúvida, o familiar leve a pessoa ao médico psiquiatra.

Ele vai saber diagnosticar e tratar de forma adequada o alcoolista.

O médico ajuda inclusive na conscientização da doença.

Quanto mais precoce o tratamento, melhor será o resultado.

Toda essa ajuda será traduzida num aumento da qualidade de vida para a pessoa, inclusive evitando doenças orgânicas.

A família também irá usufruir de maior tranquilidade.

Tudo isso se traduzirá num ambiente mais saudável para todos.

Se você gostou do artigo ou tem alguma dúvida, comente aqui abaixo!

José Wagner e Médico, especializado em Psiquiatria e Saúde Mental pela PUC-RIO. Participa todos os anos de congressos nacionais e internacionais relativos a sua área de atuação. Formado desde 2001, já trabalhou diretamente com pacientes em atendimentos ambulatoriais, pacientes internados e em CAPS ( Centro de Atenção Psicossocial). A atenção especial ao cliente, somada a vasta experiência, em todos os níveis de atendimento, se traduz num resultado de excelência no tratamento.

Newsletter